27 de agosto de 2013

Amando-te


Acordar ouvindo tua respiração, assim como quem respira o mar pelas ondas, sussurros vão e veem, estamos grudados em pele.

As tuas mãos entrelaçadas nas minhas, o meu corpo grudado no seu, nada tão mais lindo.

Breve, pulsa no meu peito o seu coração quieto da noite, então espio pra ver se já é de manhã, mas você ainda dorme.

E eu volto a dormir pensando como é não ter saudade.

Nada que perturbe a quietude, ondas você ainda respira, e me afogo também em outro sono, quem sabe nos encontramos no sonho do outro um futuro que não se pode findar.

E antes que nos acorde o sol, deitados nos abraçamos com o frio.

Um dia prometi deixar as portas abertas. E ficaram…

Só não sei te mandar embora.



Fernando Oliveira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário