27 de agosto de 2013

Verdadeiro


A gente sabe quando é verdadeiro. É simples. Você que tem um coração frágil, irá ficar nas mãos dele. E não interessa se você é orgulhosa demais pra isso, quando a gente ama de verdade a gente se entrega. De corpo e alma. Você faz juras para si mesma que não vai ligar e de repente já ligou, promete que não vai perdoar mas na hora nem lembra mais o motivo do perdão. E do nada está ali do lado dele com o sorriso largo. Mas não tem problema, o amor recompensa. Você vai passar a noite toda chorando pelo babaca, mas na manhã seguinte vai se sentir a mulher mais feliz do mundo ao escutar um “eu te amo”. O amor é isso. É luta, mas com recompensa. Quem disse que o amor é sempre riso, carinho, felicidade, está mentindo. Amor é um pouco de esperança com decepção. É dor misturada com remédio. É ansiedade. É insegurança. É ciumes. É achar que ele ia ligar, mas não ligou. É quebrar a cara várias vezes até aceitar os defeitos do outro e passar a amá-lo mesmo que suas atitudes não correspondam com as expectativas. Cabe a você decidir se o que você sente é maior que as dificuldades. E quando for amor, vai ser maior. Maior que você. E não interessa quanto ele ganha, onde ele mora, a família, os amigos… Você vai criar formas de se estabilizar. Você vai mudar seu gosto musical e muitas coisas em você. De repente vai sentir um interesse imenso por musicas melosas e também por aquelas preferidas dele. Você vai mudar o jeito de andar, o jeito de se vestir, o jeito de falar. Você vai procurar maneiras de se tornar a mulher mais bonita que ele jura que você já é. E de um modo ou de outro, a gente acaba se tornando isso sem perceber. Uma mulher alegre, vaidosa, bem resolvida, amada. Isso vai te fazer bem, portanto, vai te fazer linda. Pra você e pra ele, não importa o resto do mundo. Você vai morrer de felicidade por acordar de madrugada recebendo uma mensagem ou uma ligação dele. Vai chegar em casa após um encontro e repassar cada cena, mesmo que esse tenha sido o milésimo. Vai querer falar dele pra todo mundo, ou vai falar mesmo sem querer e nem vai perceber. Vai inventar insônia pra pensar nele. Vai ilustrar suas viagens de ônibus com estórias de amor criadas na sua cabeça. E você vai ser feliz, na dificuldade, na dor, na queda. Não vai mais estar sozinha. Vai encontrar a força que tanto precisava. E a vida vai passar a fazer sentido. Você vai entender sobre você e sobre como é amar e ser amada. Ela não vai ficar mais fácil, mas você vai se tornar mais forte. Mais segura de si. E não importa se você tem medo de altura, de bicho, do escuro… Se ele segurar a sua mão, você pula, você enfrenta, você não foge. A única coisa que vai ser inaceitável pra você, é perdê-lo. Porque perder alguém que a gente ama em vida, é pior do que perder alguém que a vida tira. Por que a gente sabe que a pessoa vai estar ali, vivendo a vida dela, sorrindo, mas não do nosso lado. E é ruim, quando a gente quer tanto alguém, e esse alguém não está do nosso lado, nos acompanhando nos dias que mais precisamos. Daí que a gente sofre. Não temos certeza nem do amanhã da gente, imagina do outro. E todo homem é um pouco filho da puta. E toda mulher é um pouco neurótica. Mas não existe nada mais bonito do que um casal de filho da puta e neurótica juntos.

Fernando Oliveira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário