30 de setembro de 2013

O Abraço.


Eu sempre gostei deste seu abraço apertado e sincero. E olha que são raros os abraços que se podem dizer que são sinceros nesta vida. É que o seu vêm de dentro. Do fundo e profundo. É o tipo de abraço que aperta o peito, e o mundo todo abre os braços naquele momento. É dentro dele, que me sinto seguro. Abraço bem dado é afago na alma. Abraço bem dado é fantástico. É contentar-se com pouco, quando o pouco é muito ao que se espera. O calor que se troca dentro de um abraço e que tanto aquece o peito queima as distâncias e, a alma fica exposta numa troca boa de energia onde os corações se encontram. Abraço de urso, que seja este o nome correto, não sei; mas se for sincero o abraço ele se dá até com os olhos, se a vida algum dia arrancar-lhe os braços. Abraçar a quem se gosta é querer sentir-se um só, na mais completa troca de carinho simultâneo. Eu gosto deste teu abraço dengoso pedindo meu colo. Eu gosto de me debruçar em seu ombro. Gosto de me abrigar em suas asas. Gosto deste aconchego de saber que ali encontro paz. Gosto de sonhar dentro dos nossos abraços. É bom sentir o aconchego de um amor dentro de um abraço. A paz que me cabe é a mesma que nos cabe, dentro do nosso abraço.

Fernando Oliveira.

Um comentário: