17 de maio de 2015

Um amor incompleto.




É foda sentir ciúmes e não poder falar o que tanto queres, não poder reclamar e pedir pra mudar o jeito de ser. Por que é só o jeito da pessoa ser, as vezes é até coisa da nossa cabeça. Mas como controlar o ciúmes? É doloroso ter medo de perder alguém que tem grande valor para nós. Olha, não é desconfiança sabe, às vezes temos medo de que nosso amor que tanto queremos encontre um alguém e se encante. Porque sabemos que a vida é sempre assim. Porque, nada é pra sempre. Tudo na vida passa e acaba, infelizmente ou felizmente. Sempre tem fim, querendo, ou não. 



Eu, sempre tive essa mania de me apaixonar por gente carinhosa, atenciosa e cheirosa. Não precisava ser tão bonita, tão gostosa, bunduda e peituda, só precisava ter um coração inteligente. Não precisava ser a garota mais paquerada do bairro, da escola e das festas, porque odeio tudo aquilo que chama atenção aos outros. Seria até bom, se o carinho fosse dado apenas comigo. A gente sente vontade de dizer tantas coisas, mas não podemos. Porque o amor é egoísta. E perco a vontade de seguir, ao seu lado ou não. Talvez nosso amor nunca mais será o mesmo, talvez não exista algo que possa alimentá-lo por muito tempo. Dói se dedicar e ter a partida como recompensa. É horrível fazer de tudo para alguém que a gente tanto gosta e acabar ouvindo “vamos dar um tempo!” como resposta. Eu preferia desistir de mim, de nós e de tudo.


De tantos amores, a minha maior tristeza é que todo amor novo que eu encontro por aí  vem sempre com algum amor antigo tão longo e lindo. Por que quando estamos com o coração inteiro, se envolvemos com corações incompletos, quebrados e pela metade? Eu procuro é coração inteiro, com cheiro de amor, de vontade, de desejo, de pensar no futuro, de se aprofundar em nós, e não esses coracões pela metade. E eu sofro porque, nunca dou tempo de ser muito Eu para esses amores rasos porque sempre o estrago antes. 

Eu quis pegá-la pelos braços, e gritar “Não se vá, porra!” Mas desde quando a gente faz isso com alguém? Desde quando a gente tem que implorar para alguém ficar do nosso lado? Isso é paia. Amor não se implora. Amor não se compra. Amor é dado por vontade própria e livre espontânea vontade do outro. Mesmo que a vontade invade nosso coração, amor não se cobra.

E a gente promete nunca mais ir atrás, manter qualquer tipo de contato e telefonar para quem nos faz tanto sofrer nesta vida, mas acaba indo, telefonando, e a pessoa atende, e implica, e a gente briga, discute, e ela some, e ela chama, vem atrás, e a gente volta, e briga, e adora, e finge que tá tudo bem, e sofre, e ama, e ama, e goza, e desama, e termina, e quando parece que não sentimos mais porra nenhuma, que não há mais espaço para um outro novo amor, outro aparece, do mesmo jeitinho, outro suicídio, começa tudo de novo, aquele vai-e-volta, fica-e-vai, some-e-aparece, é tipo como o nosso coração está sendo puxado para fora à força. 


Talvez este erro seja Eu. Pois me preocupo demais. Talvez essa vida de amar seja simples e meu medo de dar tudo errado complica tudo. Quem sabe eu deva esquecer meu medo e seguir em frente? Ser feliz é algo tão simples e incrível. Talvez ninguém seja tão feliz quanto aparenta, e tenhamos apenas momentos tristes e alegres. Talvez a gente só queira alguém pra não se sentir sozinho pelo resto da vida. Um amor aqui, um quase amor ali. Uma pegada para distrair. Um corpo para usar. Um amor para satisfazer, tá bom. Malditas novelas românticas que nos fazem acreditar que, no fim, tudo será perfeito e que o verdadeiro amor existe. Por isto odeio novelas. Quando a novela acaba, olhamos ao nosso redor e nos deparamos com algo bem diferente: a realidade, amor.  Decepções, traições, ciúmes, angústias e medos, medos e medos. Dá tristeza ao perceber que, às vezes, não seremos o personagem principal que se casa e vive feliz para sempre no final da história. Mas sei que não existem finais felizes. O que existe é você, seguindo em frente quantas vezes forem necessárias, sem ter medo de tentar novamente, deixando de lado todas as inseguranças e levantando-se sempre de cada recaída dentro de um relacionamentozinho. Talvez o amor não precisa ser tão perfeito para ser amor. Ele só precisa ser sincero e simples para fazer com que o coração sinta que, finalmente, poderá descansar e viver em paz.


Fernando Oliveira.




Nenhum comentário:

Postar um comentário