12 de novembro de 2015

NO FUNDO, SÓ QUERIA O SEU BEM.




Eu sempre fiz de tudo para que você ficasse feliz pelas minhas atitudes, ou seja, eu sempre quis te ver bem. Eu fazia o impossível para que a gente - mesmo com essas brigas por ciúmes da minha parte - depois de conversado, ficássemos na paz. Sou ciumenta, sim. Exagerada, um bocado. Esse é meu jeito de ser e de cuidar de quem eu gosto. Sinto ciumes de tudo e você sempre soube disso. Eu fiz de tudo para o nosso amor ficar tranquilo. Eu ignorava muitas coisas desnecessárias para não causar outra briga boba que deixasse a gente mal. Eu fingia fechar os olhos diante de muitas coisas só para que a gente ficasse em paz. No fundo, eu só queria a gente bem.

Você pedia para eu dormir na sua casa e eu fazia de tudo para ir. Você pedia para eu te ver na esquina da sua rua e eu sempre dava um jeito. Eu não tinha tempo ruim, o ruim era só ficar longe de você. Lembro que até te ajudei a pagar umas contas quando as coisas apertaram pro teu lado. Lembro que até te dava uns conselhos e mandava você abrir os olhos para as suas amizades que estava ao seu lado só por interesse. Lembro também que até te dei uns tapas nas costas fazendo com que você acordasse e notasse que até alguns familiares seu, próximo de ti, perto de nós, estava agindo com falsidade contigo e que não seria uma boa companhia para o nosso churrasco no fim de semana. Até deixei de fazer alguns compromissos só para ir correndo aos teus braços, cara. No fundo, meu tempo era todinho seu.

Todos notavam que eu estava vivendo minha vida pra você e para nós. Não tinha dúvida alguma de que você seria tudo aquilo que me faltava. Todos amigos e familiares percebiam que eu era a mulher da sua vida, mas só você que não notava. Nós tínhamos tudo para dar certo até chegar aquele dia em que você me pediu um tempo. Falando todas aquelas desculpinhas esfarrapadas que a faculdade e o trabalho estava roubando suas energias e que o nosso relacionamento estava te prejudicando nisso e que ficava sem cabeça para poder por as coisas em ordem. E desde quando uma relação prejudica tanto assim? Desde quando eu queria o seu mal sendo que fiz de tudo para te ver bem? Desde quando um namoro impede você de trabalhar e estudar? Desde quando fui contra suas vontades? No fundo, minha vida não era minha, era sua.

Eu só queria te ajudar, cara. Eu era o seu amor e te cuidava tanto. Um amor serve pra isso: pensar no futuro do companheiro. Crescer juntos. Ajudar quando precisa. Apoiar quando tem dúvidas. Dar forças quando não se tem. Abrir os olhos do companheiro quando alguém está na maldade. Amor é lealdade, fidelidade e companheirismo. E eu fui isso tudo pra você. Eu fui mais do que eu podia. Eu fui bem mais aquilo que eu esperava ser ao entrar nesse barco contigo. Sabia que seria uma experiência nova e que eu podia encarar e que valia muito à pena. No fundo, só queria que você não me deixasse nesse barco sozinha. 

Eu não queria te dar um tempo, eu queria ser o seu tempo. Não se pede tempo quando se ama alguém, ainda mais naquele tempo que eu estava decidida, apaixonada e boba por você. Talvez você nem me amasse tanto assim na intensidade que eu te amava e te queria por perto. Ao saber que queria um tempo para nós me doeu nos nervos. No coração. Lá no fundo. E eu não poderia aceitar isso, pois sabia que se eu aceitasse seu tempo, nossa relação iria esfriar e jamais voltaria como era antes. E tempo não se pede. Tempo não resolve a relação de ninguém, pelo contrário, esfria, perde o gosto e acaba com tudo. No fundo, não queria te dar o tempo, eu queria mais o seu tempo.

Mas notei na sua forma de me tratar, notei em todos os seus olhares, nas suas vontades e vi que já não era a mesma pessoa. Você insistiu tanto nisso que eu me toquei, acordei pra vida e percebi que o seu tempo não era ao meu lado. Por que, desde o começo, meu tempo era todo seu e o tempo que você tinha nunca foi pra mim. Tudo que você pedia eu dizia sim. Tudo que você queria, eu fazia. E o único dia que eu quria que você ficasse mais um pouco na minha vida, você se foi. No fundo, eu percebi que você não tinha mais coragem de remar no mesmo barco que eu, e vi também que o seu tempo não era mais pra mim, e bem profundo mesmo, hoje, eu só preciso do meu tempo.


Fernando Oliveira.

2 comentários: