29 de dezembro de 2015

ERA AMOR, MAS SÓ DA MINHA PARTE.

Photo: Larissa Nunes.



Sou esperta, cara. Não sou essas garotas que você vive brincando por aí como se fosse um objeto em mãos. Aqui, comigo, o jogo é bruto. Cê acha que eu sou boba?! Acha que só porque tenho essa carinha de menina mimada e sou super carinhosa você quer brincar com o meu coração igual sempre brincou por aí?! Acha também que pode ir e voltar quando quiser? E que pode ligar na madrugada como se eu tivesse a obrigação de te receber bêbado igual suas outras ''amigas''?! Tá super enganado. Eu era bobinha, claro, e vivia no teu pé. Mas hoje as coisas mudaram, e depois de tantos tropeços em relações amorosas, aprendi a pisar firme no chão e me equilibrar. Notei sua mudança de uns dias pra cá e vi que você só me procurava quando, realmente, não tinha nada para fazer. Notei que você tava a fim de brincar com a minha vida, só que eu já sou madura demais para perder tempo brincando por aí. Dessa fase eu já passei. Eu quero algo sério, cara. Quero alguém que vale à pena, se liga, acorda, que uma mulher assim tu não vai encontrar tão fácil por aí. E agora, por essa tua ausência e atitudes de moleque estou aprendendo a viver sem você. 

Agora é tarde. Não pra mim, mas sim, pra você. Eu que demorei todo esse tempo para perceber que você não é uma boa peça para completar o meu quebra-cabeça. Hoje finalmente abri meus olhos e enxerguei tudo aquilo que eu fiz por você e até agora tu não teve reconhecimento algum do meu esforço e vontade de lutar diante de muitas coisas e pessoas para ficar ao seu lado. Desacreditei de amigos e familiares quando eles me diziam que você não seria uma boa pessoa para mim. Você quer festas, farras, amigos, bebidas, status e curtição. Eu quero histórias, viagens, amor, família e coração. Hoje eu notei que tudo que eu fiz por você foi em vão. Mas não me arrependo, foi tudo por vontade própria e de coração. E ao abrir - finalmente - meus olhos e enxergar na vida o que realmente é bom pra mim, vi que você já não faz mais parte dos meus planos. Não venha atrás, sério, pois você que pediu para ser assim. Chega de ficar presa no seu joguinho e apartir de agora vai ser tudo do meu jeito e como eu quiser. Hoje optei preservar quem realmente reconhece o meu grande valor. Não tenho mais todo aquele tempo do mundo pra você, pois hoje, finalmente, o seu tempo acabou.


É hora de deixar ir embora o que não me pertence mais. Dar um basta de verdade naquilo que não poderá voltar ao normal. Deixa morrer de vez o que a vida já me despediu. O que foi e já não me serve mais, virou apenas um passado. E passado o vento levou pra bem longe do meu alcance. Vou seguindo os meus dias de cabeça erguida e viajando por aí até encontrar qualquer coisa (ou pessoa) tão fantástica que me dê vontade de parar e ficar ali para sempre. Quem confia na vida sabe que todos os acontecimentos, mesmo os ruins, são para nos ensinar a achar um caminho bem melhor. E sempre existe um caminho melhor. Basta, acharmos.

Estou indo sem saber para onde o ''indo'' irá me levar. Nada que uma viagem pra bem longe daqui resolvesse os meus problemas. Por que de longe, bem longe mesmo, nada afeta. Santa Catarina me dará todo o tempo que perdi aqui em São Paulo. Não vou ficar lá para sempre e nem vou atrás de um novo amor. Jamais. Só vou me resolver e distrair a minha mente um pouco, curtir algumas festas, sentar na beira da praia, soltar o cabelo ao vento, pisar descalço na areia e tomar um porre junto com a minha amiga enquanto daremos risadas falando dos nossos ex-amores que perderam dois corações gigantes de duas grandes mulheres. E creio que quando eu voltar, serei outra pessoa e outra mulher bem mais forte do que eu era. Respirar outro ar é necessário, conhecer outras pessoas é obrigatório, esquecer o que me machuca e me distanciar daquilo que vive me prendendo será fundamental. Eu vou. Já fiz a minha mala e só vou levar coisas boas que me fortalecem em algo; minhas roupas mais leves, meu óculos de sol, meu livro empoeirado que faz tempo que não folheio, minha dignidade, minha sabedoria e minha simplicidade. E pode ter certeza que a única coisa que eu não vou levar e vai ficar aqui em SP, será suas lembranças. E as lembranças que tive de vocês dias atrás não foram tão boas e até lá já foram deletadas com o tempo. Já deu. Eu fui. Só espero que não sinta saudade do sorriso que um dia já foi seu nas fotos que eu irei postar. É hora de eu gargalhar com o coração, antes que ele chore por mim. É hora de recomeçar e de ser tudo aquilo que eu era antes de você aparecer. É hora de eu sorrir pra vida, antes que ela dê risadas de mim. E sorrir pra vida rindo de você por trocar uma grande mulher por pequenas garotas, será um grande alívio.


Fernando Oliveira.   


3 comentários:

  1. Nossa, muito amor por esse texto!!!!

    ResponderExcluir
  2. Seus textos estão me ajudando diariamente, a recuperação está snedo mt satisfatória. Muito obrigada!!!

    ResponderExcluir