2 de dezembro de 2015

SEXTA-FERA, PIZZA, VINHO E UMA CHUPADA 2.



 Ahhhhhhh. Que moreno incrível. Puta-que-o-pariu... canalha!!!

Eram assim suas últimas palavras sempre quando eu fazia ela gozar. Agora me responda, cara: fazer a mulher - chegar lá - é bom, mas ver a reação dela gozando, gritando horrores, falando palavrões, gemendo escandalosamente é sensacional, prazeroso e extremamente incrível. Sabia? Tu já passou por isso um dia? Senão, tá perdendo tempo. Vou te dar algumas dicas simples, até porque isso não se ensina, já nasce com o Homem. 

Cara, não tem coisa melhor que ''saber'' dominar uma mulher na cama, no sofá, no banheiro ou em qualquer lugar que lhe sinta à vontade. Tem que saber, do fundo, fazer ela te sentir. Assim, sem pressa e sem desespero. Ir com muita sede ao pote, querendo esquentar depressa a pegada, pode acabar esfriando tudo. É na calma que ela vai sentir os arrepios tomando conta do seu corpo e o tesão vai surgindo enquanto você, calmamente, desliza sua barba sob o pescoço dela, tirando calmamente o seu sutiã, segurando firme em seu queixo e aí sim, tu deixaria tua língua deslizar até o biquinho do peito dela para então, você dar aquela chupada e sugada pra dentro da boca. Certo? Mas se você não tiver a barba, cara, tu tá perdido.

Voltando naquela sexta-feira de muito sexo, pizza e vinho. Aquela mulher estava completamente tarada e louca pelo meu pau. Ao fazer, deliciosamente ela gozar na minha boca, ela não se contentou só com aquilo. Ela queria mais. Mais do que demais. (É por isso que eu gostava dela, ela me surpreendia.) Tem muita garota egoísta, ou até mesmo, homens. Mas ela não só pensava em si, ela queria acabar comigo também. Não demorou muito para ela me puxar pelos braços e me tirar daquela sala me levando para o quintal de casa onde era céu aberto e de fundo tinha a garagem onde eu coloquei o carro. Foi um tesão ver ela alucinada, bruta, me pegando pelos braços e me jogando contra a parede do meu quintal e dizendo:

― Fica aqui, cachorro! 
Tira isso, tira aquilo. Ergue os braços, relaxa e deixa comigo!

Ela também sabia me dominar. Ela tinha o poder da sedução e ela sabia me olhar com aquela cara de devoradora de pau. E não tinha algo mais excitante do que ouvir ela dizer:

― Hoje vou te devorar, assim, devagarinho. Lamber, morder, com carinho. Não coloque a mão, deixe comigo. Eu amo chupar, é um vício. Me escuta e só me obedece. É na minha boca que eu quero que o seu pau cresce. Ajoelho, do jeito que você gosta. Pode susurrar, vai ter até espanhola. Não se espante, acalme-se e me ouça. Pego seu pau com a mão e soco tudo na minha boca.

Eu já tava louco com essa mulher. Olhava pra baixo e via ela naquela posição de quatro no chão engolindo todo o meu pau, isso acabava comigo. Aquela bunda empinada parecendo um coração, com aquela marquinha e aquela calcinha vermelha me levava à loucura. Como ela pediu para eu deixar tudo com ela, eu fiquei na minha, observando e sentindo o maior prazer do mundo dentro daquele boquete quente que ela fazia. E vou te contar, ein? Que chupada!

Dava pra ouvir o barulho dela sugando meu pau todo pra dentro da boca. Dava pra sentir ela atolando meu pau até a sua garganta enquanto minhas bolas batiam em seu queixo. Porra, que gulosa! E quando ela tirava tudo da boca e socava tudo de novo até o talo? Meu Deus, que mulher. Ela tirava, batia na cara, na bochecha; na outra. Cuspia, lambia, passava a língua e engolia tudo de novo. Afff, que cachorra! Realmente, ela sabia chupar um pau. E eu já me entortando todo de tesão, com o pau latejando querendo gozar, ela pega e me fala:

― Calma, seu cachorro. Adoro esse pau grande, veiudo e grosso. Vou devagar, óh, preste-atenção. Quero sentir você gemendo, de prazer, de tesão. Olha meus peitos, tá vendo? Quero o seu pau aqui... aqui no meio. Quero ele quente e fervendo. Quero que você goze aqui, pra eu me sentir derretendo.

Como não ir à loucura com uma coisa dessa? Como resistir à uma mulher assim? Meu Deus, ela era incrível. Não tava mais aguentando de prazer e eu queria gozar logo para ela. Ela estava, realmente, acabando comigo. Eu já não tinha mais reacão, pois não podia fazer nada. Ela me dominou e não demorou muito para que ela notasse que eu já não conseguia mais segurar. Ela já sabia quando eu já estava preste à gozar, pegou e chupou mais rápido, repetidamente, e me disse:

 Amor, vai gozar? Goza aqui, óh, sem parar. Eu chupo, óh, chupo gostoso. Quero que me lambuza, quero sentir o seu gosto. Empurro tudo na boca e tiro rapidamente. Não se desespere, relaxa, controle sua mente. Tá quase pra gozar, eu sinto. Goza tudo na minha cara, não vou deixar cair um pingo. Vem, tá na hora. Me lambuza por completa, agora. Pego, aperto, olha aqui e repara. Soca esse pau na minha boca, na guela e bate na cara. Mete mais rápido, me instiga. Tiro, coloco, chupo forte sua pica. Faço cara de puta e de safada. Peço com carinho, amor, me deixa toda gozada? Olho pra você e soco tudo na boca. Empurra, vai, empurra com força. Ajoelho-me e abro a boquinha. Vai amor, dá um banho de porra na sua putinha? 

Meu Deus!!! Não resisti e gozei tudo naquela boca. Lambuzei mesmo, todinha. Na boca, na cara e nos peitos. Não tinha nada mais instigante de ver ela passando a língua tentando não deixar cair o pingo que estava descendo sobre o seu queixo. Porra, que delícia. Eu olhava, eu ficava louco, eu me retorcia todo ao ver ela se deliciando com o meu gozo sobre os seus dedos e chupando cada um bem calmamente olhando pra mim com cara de cachorra querendo o 3° ROUND. Aff, óh, que mulher!

Fernando Oliveira.  


5 comentários: