19 de julho de 2016

É FÁCIL GOSTAR DE VOCÊ.

Photo: Larissa Nunes e Luis Henrique


Sim, eu gosto de você. E prefiro manter esse meu ''gostar''. Mas gosto um tanto necessário, não muito. Gosto de ti na medida certa, sabe? Adoro quando você aparece de surpresa e me deixa sem graça me abraçando por trás e elogiando a minha barba, dizendo também que eu fico lindo com aquela polo branca que você me deu de presente nessa minha pele morena. Eu solto um sorriso junto com você, claro, e te abraço dizendo que seu cabelo tem cheiro de poesia, que é o cheiro mais gostoso que eu gosto de sentir, só que não posso me apaixonar, nem pelo cheiro e nem por você.

Gosto de cuidar de ti. Sim, cuidar de querer sempre o seu bem. Sabe aquele cuidado de fazer de tudo para ver quem a gente gosta feliz e satisfeita? Então. É esse cuidado que eu tenho; de dar carinho, presentes e mimos. De te levar para passear no parque, pegar um cinema e até andar de mão dadas no shopping da cidade. Sim, é isso; esse é o meu cuidar, de fazer essas coisas gostosas, mas só se for em sua companhia. Gosto da sua simplicidade; de tudo estar sempre bom, de não ter frescura, de sempre me dizer sim, mas só gosto, sabe? pois não posso me apaixonar.

Prefiro ser bem romântico também. Bem clichêzão mesmo. De te acordar dando beijinho e ir dormir fazendo amor. De te cantar uma das minhas poesias enquanto você descansa em meu colo me olhando nos olhos. De te fazer caretas e te beijar a testa mostrando que estou contigo para te proteger e te cuidar. De acordar pela manhã e preparar o seu café. De te ligar no fim da noite só pra dizer que sinto saudade e ouvir sua voz para amenizar a falta que você me faz. Eu gosto disso tudo, sabe? mas de me apaixonar não. Não mesmo.

Contigo eu prefiro ser ousado. Mas claro, no momento certo. Sempre procuro improvisar numa noite de amor para não deixar o tesão morrer e nem cair na rotina. Gosto de ser romântico, mas também de ser o mais abusado. Gosto de misturar tudo; puxão de cabelo com beijos no pescoço; arranhões nas costas e abraço por trás. De fazer amor com ousadia. Sei que você gosta quando te pego firme pela cintura te jogando na cama e indo junto. Também gosto quando você me olha com fome de me devorar e acabar comigo; eu até deixo, claro, aproveito cada momento, mas sou eu quem acabo contigo antes de você me devorar. Por isso que eu gosto de gostar de você assim. Além de nos dar bem na vida, nos damos bem na cama. Posso gostar até mais que isso, mas me apaixonar não, jamais. E nem quero que você se apaixona, pode gostar também, e na medida certa. Porque, na verdade, se apaixonar é começar o inferno tudo de novo, e gente apaixonada você sabe, amor, é chata pra caralho. Vamos nos gostar assim; bem de-va-ga-ri-nho, isso mesmo - pausadamente, e deixar o nosso ''gostar'' nos levar até aonde merecemos.

Ah, e pra você não esquecer; gostar de você é como andar descalço nas núvens, que até me faz flutuar. Gostar de você é como voar pelo céu mesmo sem ter asas, pois sei que jamais me deixarás cair. Gostar de você é fácil, o difícil é deixar de gostar. É, amor; queria um dia te contar todos os meus segredos, mas você acabou se tornando um deles; eu gosto demais desse meu jeito de gostar de você.


Fernando Oliveira.


Nenhum comentário:

Postar um comentário