2 de agosto de 2016

CARA, CHEGA DE PAPO FURADO!

Photo: Karen Tinee.

Também sinto saudade, confesso, mas com essa sua ausência e falta de interesse fez com que eu mudasse o meu caminho. Parei de querer andar na contra-mão. Cansei de ver você aparecendo na semana com esse papinho de sempre e chegar o final de semana e sumir como se eu não fizesse parte dos seus planos. Até entendendo da gente não poder se ver na semana, sei que fica corrido pra você e pra mim. Mas se o amor depende de duas pessoas para existir, por que estamos aqui parado? Tá esperando o quê, meu bem? Eu desistir de tudo pra você começar dar valor? Sei que se depender de mim, vai longe, já você; tenho dúvidas. Precisamos fazer um esforcinho, sei lá; vou ai, tu vem aqui, coisa rápida, sem exageros. 

Não precisa me levar pro melhor restaurante da cidade não, nem naquele barzinho que a cerveja custa um olho da cara. A gente ficando juntos, tá bom. Isso que importa. Gosto de coisas simples que estejam em nosso alcance. E se depender de nós, tudo passa a ficar mais simples e bacana de viver. Só que você tá complicando tudo, cara. Me acostumei com essa sua ''canalhisse'' de sumir o fim de semana e chegar na segunda-feira com aquela cara de pau dizendo que tá com saudade. Para, tá com saudade porra nenhuma! Quem sente saudade dá seus pulos, faz um esforço, vai atrás, e faz de tudo para matar, ficar perto, junto, presente. 

Não mete essa, cara. Cansei desse seu papo furado, dessa sua conversa fiada. Fala, fala e nada faz. Vive dizendo que tá morrendo de saudade, mas vir me ver que é bom, nada. Vive dizendo que quer marcar algo comigo, mas por em prática que é bom, nada. Ou é, ou não é.

Faz uns dias que a gente não se vê. Se eu não te chamar para conversar, tu também não chama. Se eu não ir atrás de você, tu também não vem. Não dá pra viver nisso; nessa falta de atenção, de interesse e de carinho. Nesse amor mendigado, implorado, sujo. Eu não quero isso pra mim. Não preciso viver disso.  

Acha que sou o que, boba, babaca? Que sou essas garotas que você foi acostumado enrolar? Aqui é diferente. Acorda pra vida enquanto você tem tempo. Agora eu quero atitudes, cansei dessas palavras jogadas ao vento, ditas da boca pra fora. Chega de dizer que sente saudade e seja mais direto vindo aqui me ver. Não precisa nem apertar a campainha, nem gritar o meu nome, chega e entra, mas não demore muito, pois não te garanto se ainda vou estar aqui te esperando como você sempre pensou. 

Fernando Oliveira.

Um comentário: