16 de agosto de 2016

NÃO ERA SAUDADE. ERA SÓ UMA BOA LEMBRANÇA.




Hoje, enquanto escrevo deitado na minha cama, em mais uma madrugada fria de pouco sono, lembro dela e, antes que eu fique em dúvidas, não é de saudade de querer tudo de volta, é só uma vaga lembrança. 

Ainda tento entender o porque não deu certo. Tínhamos tudo para ficarmos juntos, mas por um descuido, não ficamos. Éramos completos. Eu falava, ela concordava. Ela contava como foi o final de semana, eu sorria. Ela me abraçava, eu dava um beijo. Eu ia me despedir para ir embora, ela me segurava pelo pulso pedindo pra ficar. E eu ficava mais um pouco, mais uns minutos, mais umas horas, e foda-se se ia chegar tarde em casa, na escola, no trabalho, no futebol, eu, como sempre, ficava mais um pouquinho.

Ainda não entendo o porque terminamos. Todo mundo que eu encontro pergunta dela. E a única resposta que eu tenho é sempre a mesma: ''Ah, ela tá bem. Tá por aí.'' E dou uma risadinha solitária e triste, de que seria melhor ela estar por aqui, comigo, ao meu lado. E tá sendo sempre assim, após terminarmos, todo mundo vem perguntar da gente. Até nós, eu e ela, tentamos nos esquecer, mas as pessoas - sem querer - acabam nos lembrando do quão éramos bons juntos. 

Tempo atrás ela me ligou perguntando se tava tudo bem, se eu ainda estava na mesma empresa, como foi o jogo sábado e no finalzinho da ligação disse que a tia dela perguntou de mim, querendo saber o porque eu não estava ali com ela, como sempre estive. Ela disse que ficou sem resposta e reação, apenas balançou a cabeça dizendo que eu tava bem, e por aí, vivendo a vida. Eu até dei uma risada boba no meio da ligação e disse também, antes de ela terminar, que minha tia tinha perguntado dela e mandou eu chamá-la para irmos em seu casamento. E a gente ria, nos lembrando do como éramos felizes juntos, mas paravámos na hora, sabendo que não estavámos mais perto um do outro, pois a certeza de que nada iria voltar como era antes, travava o nosso riso. 

E eu ainda não entendo o porque deu errado sendo que éramos tão certos. Nunca tive uma pessoa que me completasse tanto assim. Eu nunca encontrei e, sei lá, talvez eu nem encontre. Eu só queria entender o porque chegou ao fim. Só queria saber o porque disso tudo - que a gente chamava de amor - morreu. Só queria que alguém me explicasse o porque de tantas promessas e viagens marcadas não foram realizadas antes da nossa hora.

E hoje, o dia quase amanhecendo, deitado na minha cama e lembrando dela, vejo que tá tudo bem. O coração tá batendo certinho. A mente tá no seu lugar exato. A força de viver está enorme. O sorriso é o de sempre. E de errado mesmo, é só o sono que ainda não chegou. Então é aí que eu tiro uma pequena (grandiosa) conclusão: tem pessoas que passam em nossa vida para nos ensinar a amar, a crescer e a ser melhor do que éramos. Mas vão embora sem explicação, sem saber o porque, deixando uma saudade cravada, uma lembrança boa, um pensamento maravilhoso, sem receio, sem maldade, só afirmando mais ainda que: ''Ah, foi bom enquanto durou.'' E hoje já não é mais aquela saudade de querer ter tudo de volta, e sim, aquela boa lembrança de tudo que fomos e que - nesta vida - não volta mais, há não ser, em sonhos.


Fernando Oliveira.   


2 comentários:

  1. meu deus 😍👏 perfeitoo dms, ameii choreii 💔😔👏😍👏

    ResponderExcluir
  2. Tu és perfeito Fernando!��

    ResponderExcluir